A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Um mês de junho assustadoramente quente

Um mês de junho assustadoramente quente
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Junho passado foi o mais quente de que há registo à escala global. As temperaturas estiveram acima da média na maioria das áreas terrestres e oceânicas, com apenas algumas exceções como o oeste da Rússia e Canadá.

O ar quente do Saara provocou uma onda de calor breve mas que bateu recordes em grande parte da Europa.

Os fogos florestais varreram o leste da Rússia onde as temperaturas foram invulgarmente elevadas.

A Índia e o Paquistão sofreram a pior seca em décadas a par de uma onda de calor mortal com temperaturas acima dos 50°C.

Prevê-se que as vagas de calor sejam cada vez mais comuns por causa do aquecimento global provocado pelo aumento de gases com efeito de estufa.

Na Europa, o mês de junho foi o mais quente em comparação com junhos homólogos de que há memória, com temperaturas médias mais de 2°C acima de normal.