A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Situação de emergência em Moçambique

Situação de emergência em Moçambique
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Depois da tempestade tropical Desmond e dos furacões Idai e Kenneth, Moçambique enfrenta uma crise humanitária.

Mais de um milhão e seiscentas mil pessoas não têm acesso garantido a alimentos. Um número que pode aumentar, entre outubro e março de 2020, de acordo com o alerta do Programa Alimentar Mundial (PAM).

Segundo o relatório da agência das Nações Unidas, se não houver intervenção humanitária, a crise pode atingir cerca de dois milhões de habitantes.

Peter Rodrigues, do PAM, destaca os principais objetivos da missão no terreno.

"Estamos a ajudá-los a limpar a terra e pagamos com comida. A fazer pequenos canais de irrigação. A criar viveiros de plantas e a desenvolver alguns programas de reflorestamento. Estamos a construir estruturas que duplicarão a resiliência a longo prazo, nas áreas onde as pessoas estão a voltar à normalidade”.

Mais de 67 mil crianças precisam de apoio nutricional e a grande maioria está gravemente desnutrida. A situação é alarmante. A agência de ajuda alimentar da ONU só consegue satisfazer 50% das necessidades.

No início do mês, de visita à Moçambique, o secretário-geral da ONU apelou à comunidade internacional para prestar mais apoio ao país e concretizar as ajudas prometidas.