EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Bulgária culpa turistas romenos pela propagação da gripe suína

Bulgária culpa turistas romenos pela propagação da gripe suína
Direitos de autor 
De  Teresa Bizarro
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O país tem cercade duas dezenas de casos confirmados e já teve de abater 130 mil porcos

PUBLICIDADE

A gripe suína volta a assustar o leste da Europa. A Bulgária declarou estado de emergência nalgumas áreas. Com cerca de duas dezenas de infeções confirmadas, foi estabelecido um perímetro de segurança à volta das explorações afetadas. 200 quilómetros onde não se pode caçar ou colher plantas silvestres, cogumelos ou trufas.

O país não é um caso isolado. A Eslováquia tem dois casos confirmados. A Roménia atingiu um número recorde de 200 novas infeções só em julho.

O primeiro-ministro búlgaro aponta o dedo aos turistas romenos como responsáveis pela entrada da doença no país.

Numa declaração que causou agitação nos meios diplomáticos, Boyko Borissov, disse ter a "certeza que os turistas romenos trouxeram esta praga. Eles comem à beira da estrada e deitam os restos para o chão. A seguir, os pássaros e os javalis comem esses restos. Vamos lá e limpamos tudo. 57 mil carros passam diariamente na autoestrada de Thrakiya. Não há nada que possamos fazer. As pessoas ficam ricas e viajam."

Cerca de 130 mil porcos foram já abatidos na Bulgária para tentar conter a doença.

De acordo com especialistas, os javalis que mergulham no Danúbio nas viagens entre a Roménia e a Bulgária, são os principais responsáveis pela propagação do vírus.

A gripe suína é fatal para os porcos mas, de acordo com a informação científica, não constitui ameaça para o ser humano.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Europa ergue fronteiras à peste suína

Ilha de Menorca: aldeia de Binibeca Vell com horário restrito de visitas durante o verão

Eleições europeias: O que é que os eleitores querem e o que é que os candidatos prometem?