EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Portugal nomeia Elisa Ferreira para comissária europeia

Portugal nomeia Elisa Ferreira para comissária europeia
Direitos de autor 
De  Isabel Marques da Silva
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Para a primeira Comissão Europeia presidida por uma mulher, Portugal nomeou, pela primeira vez, uma mulher para integrar o executivo comunitário. Elisa Ferreira está agora em Lisboa, mas obteve uma vasta experiência em Bruxelas nos 12 anos como eurodeputada.

PUBLICIDADE

Para a primeira Comissão Europeia presidida por uma mulher, Portugal nomeou, pela primeira vez, uma mulher para integrar o executivo comunitário. Elisa Ferreira está agora em Lisboa, mas obteve uma vasta experiência em Bruxelas nos 12 anos como eurodeputada.

Entre 2004 e 2016, Elisa Ferreira esteve na Comissão de Assuntos Económicos e Financeiros e participou na criação de legislação crucial para resolver a crise do euro, nomeadamente no setor bancário.

À euronews, o politólogo André Freire, do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa, realçou a vasta experiência da atual vice-governadora do Banco de Portugal, que foi também ministra em governos de António Guterres (Ambiente, seguido de Planeamento).

"É uma pessoa com grande currículo político e técnico. Não fazendo nenhuma hierarquia ou classificação de mérito relativo, em termos do lastro, de idade e experiência, Elisa Ferreira tem um quadro bastante mais robusto do que Pedro Marques. O lugar estava um pouco pensado para ele, mas depois vem a questão dos critérios de género", explicou.

Reações positivas na oposição

O líder da bancada do PSD no Parlamento Europeu, Paulo Rangel reconheceu o mérito de Elisa Ferreira e aventou, no Twitter, que poderá ter as pastas da "Economia, Ambiente ou Desenvolvimento Regional".

Na esquerda radical não se questiona a personalidade, mas as políticas. Marisa Matias, eurodeputada do Bloco de Esquerda, disse esperar que Elisa Ferreira "seja uma voz forte contra a destruição dos serviços públicos e desregulação do mercado de trabalho".

O eurodeputado comunista João Ferreira escreveu que é importante que Elisa Ferreira "defenda o interesse português, que tão negligenciado tem sido ao longo dos últimos anos.”

A pasta em jogo

Com o ministro das Finanças português Mário Centeno como presidente do Eurogrupo, cabe a Ursula von der Leyen avaliar se a nomeada pode ficar com uma pasta na área Económica e Financeira ou com o Desenvolvimento Regional, como ambiciona o primeiro-ministro, António Costa.

"Eu penso que o desenvolvimento regional, os fundos europeus, é muito importante sobretudo para países como Portugal, que são recetores desses fundos", acrescentou André Freire.

O comissário europeu cessante, nomeado pelo PSD, Carlos Moedas, que tem a pasta da Ciência e Investigação, disse " estar contente de passar o testemunho a uma europeia tão convicta".

"Como o Reino Unido de saída da União Europeia, serão 26 os nomeados que deverão passar nas audições no Parlamento Europeu. A primeira ronda será em meados de setembro, mas Elisa Ferreira é uma veterana que conhece bem este processo e é, também, uma cara conhecida para muitos dos eurodeputados que a irão avaliar", acrescenta Isabel Marques da Silva, a correspondente da euronews em Bruxelas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Nomeados controversos para o executivo europeu

Von der Leyen admite acordo com eleitos pelo partido de Meloni

Nicolas Schmit: "Está fora de questão chegar a acordo com a extrema-direita"