A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Organização de Estados Americanos pressiona Maduro

Organização de Estados Americanos pressiona Maduro
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

12 países da Organização dos Estados Americanos aprovaram a convocação de uma reunião que pode reativar o Tratado Interamericano de Assistência Recíproca, que prevê a defesa mútua entre os signatários no caso de ataques de forças estrangeiras.

O pacto da época da Guerra Fria foi defendido pelo líder da Oposição venezuelana, Juan Guaidó, como uma forma de pressionar o Governo de Nicolás Maduro.

Esta semana, a Venezuela iniciou exercícios militares na fronteira com a Colômbia, acusando Bogotá de criar campos de treino para que militares colombianos ataquem a Venezuela. Bogotá nega e acusa Maduro de apoiar grupos guerrilheiros da Colômbia. "É claro que os regimes de Chavez e Maduro consideram organizações terroristas que cometeram crimes na Colômbia, que causaram danos à Colômbia, que derramaram sangue no meu país, como organizações políticas", afirmou o ministro dos Negócios Estrangeiros da Colômbia, Carlos Holmes Trujillo.

"Estamos em alerta especial. Estamos a monitorar e vamos continuar a proteger as nossas fronteiras. Esperamos que estes exercícios não causem qualquer problema à segurança da Colômbia", disse o comandante das Forças Armadas da Colômbia, Luis Fernando Navarro.

A Venezuela diz que os exercícios militares servem para o país se preparar para uma invasão estrangeira. Maduro tem alertado repetidamente para uma alegada invasão da Colômbia, coordenada pelo Governo dos Estados Unidos.