Última hora

Inovações japonesas na IFA em Berlim

Inovações japonesas na IFA em Berlim
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

As inovações tecnológicas japonesas estiveram em destaque na maior feira de tecnologias da Europa, em Berlim, de 4 a 9 de setembro.

Este ano, pela primeira vez, a feira de tecnologias alemã criou uma parceria com o Japão, para dar a conhecer ao público as últimas tecnologias inovadoras densenvolvidas por empresas japonesas.

A start-up japonesa Xenoma apresentou o e-skin. Uma calças com tecnologia integrada que podem ser usadas nas áreas da medicina ou do desporto, quer seja em fisioterapia ou na preparação física dos desportistas. "Vesti as calças e-skin. Temos aqui sete sensores que transmitem os movimentos a uma central que está nas minhas costas e que envia os dados para um computador e para um monitor através do bluetooth. Quando nos movimentamos, podemos ver movimentos simples ou amplos no monitor em tempo real", explicou Bianka Hamann, porta-voz da empresa japonesa Xenoma.

A mobilidade aérea do futuro

A empresa Skydrive trabalha na área da mobilidade aérea e criou um protótipo de aparelho voador. O primeiro teste com humanos está previsto para 2020. "Temos de controlar o que passa à esquerda à direita, em cima e em baixo. O ponto positivo é que não preciso ter as competências de um piloto de helicópteros ou de aviões. Só temos que andar para trás, para a direita, para a frente. Qualquer pessoa que sabe pilotar um drone pode voar no futuro", disse Tomohiro Fukuzawa, presidente da Skydrive.

Inovação tecnológica para melhorar a vida das pessoas

Para as empresas do Japão presentes em Berlim, o objetivo da inovação tecnológica é melhorar a vida das pessoas. "Queremos apoiar a inovação com uma interface fácil de usar numa sociedade inclusiva centrada nas pessoas", afirmou Kazuhiro Yamamoto, da empresa Asukanet.

Para o diretor da feira de tecnologias de Berlim, a capacidade de inovação do Japão é uma mais valia. "Quando estivemos no Japão, visitámos grandes empresas de tecnologias visitámos start-ups em Quioto. Vimos muitas pessoas de vários países a trabalhar em grandes empresas ou start-ups japonesas. Há um grande espírito de abertura. O Japão é o parceiro certo para o IFA Next", sublinhou Jens Heithecker, diretor da IFA.

Tecnologia identifica emoções

A start-up japonesa Empath desenvolveu uma tecnologia que analisa a forma como falamos para identificar emoções.

"Aqui temos um protótipo da tecnologia que pode identificar emoções, incluindo a alegria, a calma, a ira e a tristeza. O que é importante não é o que a pessoa diz mas a forma como diz, a velocidade, o tom, o ritmo o volume e a entoação da fala. No meu caso, aparecem sobretudo as cores verde e amarelo, significa que que estou calmo e feliz", explicou Hazumu Yamazaki, da empresa Empath Inc.

A tecnologia Empath foi desenvolvida como uma ferramenta na área da saúde mental para ajudar as vítimas de tremores de terra. "Através do reconhecimento das emoções, tentamos identificar os sintomas da depressão. Se percebemos que a pessoa está deprimida, ela é reencaminhada para os cuidados psiquiátricos", acrescentou o responsável.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.