Última hora

EUA realçam acordo para suspensão da ofensiva turca na Síria

EUA realçam acordo para suspensão da ofensiva turca na Síria
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Algumas horas após o cessar-fogo anunciado por Estados Unidos e Turquia sobre a ofensiva militar turca no norte da Síria, muitos refugiados curdos estão a fugir da região.

Com muitas famílias com crianças a bordo de autocarros, centenas rumam em direção aos campos de refugiados mais próximos, como este no Iraque.

Este migrante curdo confessou estar muito contente com o cessar-fogo e manifesta esperança de ver todos os cidadãos voltarem ao país. Questionado se ele próprio vai regressar, este refugiado curdo assumiu que não vai voltar enquanto a segurança não for totalmente restabelecida na Síria.

Muito longe mas com o mesmo sentimento de satisfação estava Donald Trump. O presidente dos Estados Unidos enfatizou a importância do acordo para a suspensão da ofensiva da Turquia, que prevê a retirada dos curdos de uma zona de segurança durante cinco dias.

Trump afirmou que este "é um resultado incrível, um grande desfecho, independentemente de a imprensa gostar de o tentar desvalorizar". O líder da Casa Branca frisou que isto era "algo que se procurava obter na Síria há já 10 anos", que "estavam em risco milhões de vidas" e que tal só foi possível com um misto de "amor e dureza".

Em foco nesta iniciativa pela paz na região esteve Mike Pence. Segundo o vice-presidente dos Estados Unidos da América, o fim das sanções à administração turca depende agora apenas de um cessar-fogo que seja definitivo.

O número dois de Washington sublinhou que "com a aplicação do cessar-fogo, os Estados Unidos não vão impor mais sanções à Turquia e que assim que um cessar-fogo passe a definitivo, então Donald Trump irá retirar as sanções económicas impostas na segunda-feira".

Por outro lado, o ministro turco dos Negócios Estrangeiros lembrou que não terminaram as hostilidades e que se trata apenas de uma suspensão. Mevlut Cavusoglu afirmou que esta é apenas "uma pausa e que não se trata de um cessar-fogo", pois o cessar-fogo "só pode ser assinado entre dois lados legítimos".

A pausa serve, de acordo com o titular da pasta, para assegurar que os curdos considerados terroristas saem da zona de segurança. Um vídeo divulgado esta quinta-feira pelo Ministério turco da Defesa mostrou que os soldados permaneceram nas suas posições no norte da Síria.

No entanto, informações das últimas horas revelaram ja terem sido ouvidos disparos, nomeadamente na região da cidade de Ras al-Ain, em violação da suspensão do conflito.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.