Última hora
This content is not available in your region

Os rostos da crise alimentar no Níger: duas histórias

euronews_icons_loading
Os rostos da crise alimentar no Níger: duas histórias
Tamanho do texto Aa Aa

Os pequenos pacientes da ala pediátrica do Hospital Nacional de Zinder movem-se muito lentamente, porque a maior parte destas crianças está desnutrida.

Alguns lutam pela vida, como Rabé, de 2 anos. Ela pesa pouco mais de 5 quilos, devia pesar pelo menos 11. Está nos cuidados intensivos, já que a desnutrição trouxe várias complicações.

"Todas as crianças estão desnutridas e vêm com complicações. Existem complicações respiratórias, metabólicas, neurológicas, digestivas e cutâneas. As crianças podem chegar com uma ou várias destas complicações".
Hawaou Ousmane Madougou
Enfermeira chefe

Na enfermaria dezenas de outros pequenos pacientes recebem tratamento. Bohari Huseini tem três anos e é um caso grave e complexo de desnutrição. Bohari pesa 7,4 Kgs em vez de 12. Vai precisar de cerca de duas semanas no hospital para recuperar forças.

“Tenho seis filhos e dois sofreram de desnutrição aguda grave. Porque não produzo leite suficiente porque não tenho comida suficiente para me alimentar".
Amina Chaibou
Mãe de Bohari

Anualmente, o Hospital Nacional de Zinder recebe entre oito mil e nove mil crianças gravemente desnutridas como Rabé e Bohari. No Níger, a desnutrição ainda mata 38 mil crianças todos os anos.