Última hora

Irão promete punir "instigadores" da contestação

Irão promete punir "instigadores" da contestação
Direitos de autor
ReuterNazanin Tabatabaee/WANA (West Asia News Agency) via REUTERS/Arquivo
Tamanho do texto Aa Aa

O Irão promete punir os "mercenários" que considera ser os instigadores da vaga de contestação e violência que agitou o país, na sequência do forte aumento dos preços dos combustíveis.

A designação "mercenários" foi usada pelo general Ali Fadavi, líder da Guarda da Revolução Iraniana, para definir 180 pessoas "identificadas e detidas", acusadas de "liderar os recentes motins". O responsável militar afirmou que os detidos confessaram agir ao serviços dos Estados Unidos e da Organização dos Mujahidin do Povo Iraniano, movimento da oposição no exílio, responsável por vários atentados no Irão na década de 80 e classificado como "seita terrorista" por Teerão.

Segundo a ONU, houve "mais de mil" detidos durante a vaga de contestação que, de acordo com a Amnistia Internacional, se saldou em mais de 100 mortes.

Os Estados Unidos apelaram ao Facebook, ao Twitter e ao Instagram para bloquearem as contas do regime iraniano, até que as autoridades restabeleçam a internet no país.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.