Rússia e China inauguram gasoduto

Rússia e China inauguram gasoduto
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Rússia vai abastecer a China de gás natural, através de um gasoduto de milhares de quilómetros, a partir da Sibéria.

PUBLICIDADE

Rússia e China estão mais unidas que nunca. Através de uma videoconferência, os presidentes Vladimimir Putin e Xi Jinping inauguraram o primeiro de três gasodutos que vão unir os dois países.

O projeto, que o presidente russo classificou como "um evento histórico extraordinário, não só para o mercado energético mundial, como, acima de tudo, para a Rússia e a China", permite a Moscovo diversificar mercados a Oriente, com a China a assumir-se como o maior mercado de exportação.

O gasoduto histórico vai transportar gás natural da Sibéria para o nordeste da China ao longo de uma rede que no total terá mais de três mil quilómetros. O custo do Power of Siberia, como foi batizado, está avaliado pela Gazprom, a maior empresa energética russa, em 55 mil milhões de dólares, isto é, quase 50 mil milhões de euros.

Até 2023, ano em que o gás deverá chegar a Xangai, a infraestrutura terá uma capacidade de 38 mil milhões de metros cúbicos anuais, o equivalente a 9,5% do gás consumido na China.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

EUA e Alemanha têm acordo para evitar abusos da Rússia no Nord Stream 2

Bielorrussos temem aproximação à Rússia

Cimeira UE-Ucrânia: Poroshenko critica gasoduto russo