This content is not available in your region

EUA e Alemanha têm acordo para evitar abusos da Rússia no Nord Stream 2

Access to the comments Comentários
De  Bruno Sousa
euronews_icons_loading
EUA e Alemanha têm acordo para evitar abusos da Rússia no Nord Stream 2
Direitos de autor  Jens Buettner/(c) dpa-Zentralbild

O Nord Stream 2 está praticamente concluído e promete duplicar a exportação de gás russo para a Alemanha mas o projeto nunca foi consensual e já esteve na origem de várias dores de cabeça diplomáticas. Os Estados Unidos sempre se opuseram ao polémico gasoduto e a imposição de sanções chegou a estar em cima da mesa. A via do diálogo acabou por prevalecer e a diplomacia norte-americana anunciou um acordo com Berlim para que a conduta que liga Rússia e Alemanha através do mar Báltico não comprometa a segurança energética da Europa.

A subsecretária de Estado dos EUA, Victoria Nuland, explica que "a Alemanha chegou a um compromisso connosco e caso a Rússia tente usar a energia como arma ou cometa mais atos agressivos contra a Ucrânia, irá agir a nível nacional e pressionar as instâncias europeias para que sejam tomadas medidas efetivas, incluindo sanções que limitem as exportações russas para a Europa no setor da energia."

Os Estados Unidos temem que a Europa se torne demasiado dependente da energia russa e que Moscovo use esse poder contra adversários como a Ucrânia e a Polónia. Rússia e Alemanha, os principais interessados, sublinham que se trata de um projeto estritamente comercial e benéfico para todos os envolvidos.

O acordo entre Estados Unidos e Alemanha prevê uma compensação à Ucrânia pelas receitas perdidas com a entrada em funcionamento do Nord Stream 2, uma vez que o fornecimento de gás à Europa deixa de estar dependente do gasoduto que atravessa o território ucraniano.