Última hora
This content is not available in your region

Autor de tiroteio na República Checa suicida-se

euronews_icons_loading
Autor de tiroteio na República Checa suicida-se
Tamanho do texto Aa Aa

Sete mortos, incluindo o próprio atirador, e dois feridos graves é o mais recente balanço do tiroteio num hospital em Ostrava, na República Checa.

Um homem de 42 anos disparou sobre várias pessoas na sala de espera do departamento de consultas externas do hospital e depois deixou o local e suicidou-se. Uma funcionária do hospital dá conta do choque que se vive: "Trabalho no departamento de sangue. Foi horrível, ainda estou em choque. Foi um acontecimento muito triste, ainda não conseguimos falar disso".

Ainda não se conhecem as motivações do crime. Sabe-se que o atirador foi perseguido pela polícia antes de se suicidar com um tiro, dentro do carro, com um helicóptero da polícia a voar por cima. O primeiro-ministro Andrej Babis disse que o homem chegou a dizer à mãe que tinha morto pessoas e se iria suicidar.

"Quando a polícia chegou à cena do suicídio, ele ainda estava vivo, mas morreu do ferimento depois de cerca de meia-hora de manobras de reanimação. O perpetrador deste ato horrendo morreu", disse aos jornalistas o ministro do Interior, Jan Hamáček.

Este foi o tiroteio mais grave no país desde 2015, quando um atirador matou oito pessoas e se suicidou num restaurante na cidade de Uherský Brod. Os crimes violentos com armas de fogo são relativamente raros na República Checa.