Última hora
This content is not available in your region

Aplausos, lágrimas e cânticos na aprovação do Brexit

euronews_icons_loading
Aplausos, lágrimas e cânticos na aprovação do Brexit
Direitos de autor  AP
Tamanho do texto Aa Aa

"Eu sei que querem banir as nossas bandeiras, mas nós acenamo-vos adeus", disse Nigel Farage, eurodeputado britânico eurocético, depois do Parlamento Europeu ter aprovado o acordo de saída do Reino Unido da União Europeia por 621 votos a favor, 49 contra e 13 abstenções, quarta-feira, em Bruxelas.

Após anos de controvérsia e de negociações atribuladas, faltava este passo na ratificação para que o Brexit entre em vigor a 31 de janeiro.

"Aos nossos colegas britânicos que nos brindaram com talento, inteligência, charme -alguns deles, pelo menos-, só posso dizer que teremos saudades vossas", afirmou Guy Verhofstadt, eurodeputado liberal belga que preside ao Grupo de Trabalho sobre o Brexit.

Para alguns dos 73 eurodeputados que abandonam o hemiciclo foi um momento muito triste.

"Tem sido estranho há já algum tempo, mas hoje parece tudo muito cru. Cada um lida com o Brexit à sua maneira, mas quando os colegas se aproximam no momento da grande despedida, em lágrimas, é muito difícil manter a compostura", disse Seb Dance, britânico do centro-esquerda.

Mas para outros foi um momento de comemoração, nomeadamente para a ecologista Alexandra Phillips: "Está a concretizar-se, a democracia prevaleceu! As pessoas venceram o sistema estabelecido. O povo disse que queria abandonar a União Europeia e agora concretiza-se. É uma incrível conquista histórica!".

O editor de política da euronews, Darren McCaffrey, acrescenta: "Tendo em conta que há muito que se debatia o Brexit, parece um pouco surrealista que realmente se concretize. Mas é de facto um momento histórico importante, a primeira vez que um Estado-membro da União Europeia está de saída".

Alguns dos eurodeputados pró-União, como a liberal Naomi Long, temem o que poderá surgir pela frente: "Quando saírmos da União Europeia - agora que sou responsável pela justiça no parlamento da Irlanda do Norte -, sei que existirão enormes problemas para manter a cooperação, para encontrar soluções alternativas para as estruturas nas quais confiamos, há muitos anos, ao nível da União. Esse será um longo processo".

Os eurodeputados cantaram Auld Lang Syne, uma canção tradicional nas festas de fim de ano em países anglófonos. Mas uma coisa são os documentos assinados, outra é a vida real. Falta negociar o acordo de parceria política e de livre comércio. O Brexit está longe de terminar.