Última hora
This content is not available in your region

Hungria ajuda a controlar fronteiras da Sérvia e Macedónia do Norte

euronews_icons_loading
Hungria ajuda a controlar fronteiras da Sérvia e Macedónia do Norte
Direitos de autor  AP
Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades da Sérvia e da Macedónia do Norte preparam-se para uma nova vaga de migrantes depois de a Turquia ter aberto as suas fronteiras com a UE.

A polícia húngara ajuda os seus colegas sérvios e macedónios do norte desde 2016, participando na Estratégia de Gestão dos Migrantes financiada pela UE.

Na cerimónia de despedida do novo contingente húngaro, realizada na segunda-feira, o coronel da Direcção da Polícia de Fronteiras da Hungria Oriental, Zoltan Csanad Miskolcz, falou sobre a importância de travar os migrantes na rota dos Balcãs.

"A polícia húngara está empenhada em deter os migrantes na rota oeste-balcânica, não os deixando entrar ilegalmente nem para a Hungria nem para a União Europeia. Por esta razão, além de trabalharmos na Hungria, oferecemos apoio a países da região dos Balcãs Ocidentais".

A pedido da Sérvia, o número de polícias que participam na missão foi aumentado de 15 para 20 em janeiro. A Hungria envia 30 agentes para a Macedónia do Norte. O líder do contingente, o coronel Sandor Torma, falou com a Euronews: "Depois de um briefing detalhado, vamos servir na fronteira verde, a pé ou de carro. Temos diferentes equipamentos de patrulha para utilizar, por exemplo, veículos todo-o-terreno e câmaras térmicas móveis e, claro, com a nossa experiência em controlo de fronteiras, podemos ajudar a reduzir a pressão migratória na Macedónia do Norte".

O ministro austríaco do Interior anunciou o envio também de agentes para a fronteira húngaro-sérvia para o controlo do tráfego ferroviário. A Áustria, que preside à União Europeia, também apoiará a Grécia no combate à crise migratória.

O chanceler austríaco, Sebastian Kurz, critica a Turquia por tentar "chantagear" a UE, abrindo as fronteiras a milhares de refugiados que procuram entrar na Europa. Kurz afirmou: "Isto é um ataque da Turquia contra a União Europeia e a Grécia. As pessoas estão a ser usadas para pressionar a Europa (...) A UE não deve ser suscetível a chantagem".

Só durante o fim de semana, a Hungria terá parado mais de 400 migrantes na fronteira.

Os média da Macedónia do Norte falam todos os dias de grupos de migrantes nas estradas do país em marcha em direção à Sérvia.