Última hora
This content is not available in your region

Mais de 100 mil infetados pelo coronavírus nos Estados Unidos

euronews_icons_loading
Mais de 100 mil infetados pelo coronavírus nos Estados Unidos
Direitos de autor  AP
Tamanho do texto Aa Aa

O coronavírus continua a conquistar território e a infetar milhares de pessoas todos os dias no mundo.

Os Estados Unidos são já o país que regista mais casos, com mais de 100 mil pessoas já infetadas.

Nova Iorque continua a ser a cidade mais atingida mas começam a surgir números preocupantes em Nova Orleães, Chicago e Detroit. Por todo o lado se improvisam hospitais e, após alguma hesitação, o presidente, Donald Trump, decidiu invocar a Lei de Produção de Defesa, usada durante a guerra da Coreia, para ordenar à General Motors que começasse a fabricar as máquinas de respiração.

Trump falou esta sexta-feira com o presidente chinês. Um diálogo à procura de cooperação. Xi Jiping terá dito que a "China está pronta a fornecer apoio dentro da sua capacidade".

Na Europa, a Itália registou o maior número de mortes em 24 horas - 969 -, elevando o número de vítimas mortais no país a 9.134. Há agora em Itália mais de 86 mil infetados e em Espanha mais 64.000, com um total de mais de 4900 mortos.

Em França, onde se registam 33 mil casos e cerca de 2000 mortos, o primeiro-ministro anunciou o prolongamento do estado de emergência até meados de abril; a primeira-ministra belga fez o mesmo anúncio.

No Reino Unido, onde já morreram 760 pessoas, luta-se contra o tempo na construção de unidades hospitalares para acolher os doentes da COVID 19. Boris Johnson tornou-se no primeiro chefe de governo a ser contaminado e está agora de quarentena, assim como o ministro britânico da Saúde do país. Numa mensagem aos britânicos, o primeiro-ministro diz que tem febre e tosse em permanência mas que continua a gerir as respostas do governo à pandemia.

O coronavírus já infetou 550 mil pessoas no mundo e a COVID 19 matou quase 25 mil.