Alemanha prepara-se para levantar restrições de viagens a países europeus

Ilha alemã de Spiekeroog
Ilha alemã de Spiekeroog Direitos de autor Sina Schuldt/(c) Copyright 2020, dpa (www.dpa.de). Alle Rechte vorbehalten
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O governo alemão deverá retirar as recomendações negativas em vigor até meados de março por causa da pandemia de coronavírus. As viagens sem restrições para 31 países deverão ser autorizadas a partir desta quarta-feira.

PUBLICIDADE

Mesmo a tempo do verão. O governo alemão pretende levantar a recomendação negativa de viagens para 31 países europeus. A partir de 15 de junho, será possível realizar viagens sem restrições para a União Europeia, Suíça, Liechtenstein, Noruega e Reino Unido. A condição é que o cenário pandémico esteja a evoluir positivamente.

A alteração deverá ficar oficializada esta quarta-feira.

Em vez de uma recomendação geral, haverá avisos individuais para cada país. As restrições têm estado em vigor desde meados de março e aplicam-se a viagens não essenciais.

No interior do país, o turismo já está a reflorescer, como na ilha de Spiekeroog no mar do Norte. Desde segunda-feira, os hotéis passaram a poder acomodar pessoas mas até um limite de 60 % da capacidade. Viagens diárias para a ilha estão ainda interditas.

"Claro que estamos satisfeitos por recomeçar. Mas claro, estamos também preocupados com uma nova onda parecida com esta. Por isso, apelamos aos clientes para aderirem às regras necessárias para todos podermos ultrapassar esta crise em forma", diz um motorista de transporte de turistas para Spiekeroog.

Não é apenas a região da Baixa Saxónia que convida as pessoas a relaxarem, mas no Estado Mecklemburgo-Pomerânia Ocidental, Berlim e Brandeburgo, os hotéis e as atrações turísticas estão de novo abertas a pessoas de todos os Estados da Alemanha.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Tiroteio na Alemanha: quatro mortos, incluindo uma criança. Suspeito é um militar e foi detido

Nova greve nos transportes públicos da Alemanha

Alemanha vai colocar 5.000 soldados na Lituânia