Última hora
This content is not available in your region

Europa quer travar segunda vaga de Covid-19

euronews_icons_loading
Europa quer travar segunda vaga de Covid-19
Direitos de autor  Friso Gentsch/(c) Copyright 2020, dpa (www.dpa.de). Alle Rechte vorbehalten
Tamanho do texto Aa Aa

A crise no comércio levou o ministro britânico das Finanças a fazer uma visita a várias lojas em Yorkshire. Até ao final do mês, o Reino Unido deve anunciar novas medidas de desconfinamento, também no que toca ao turismo.

Entrevistado pela BBC, o embaixador português em Londres acredita que o primeiro-ministro Boris Johnson vai anunciar uma ponte-aérea com Portugal. Para Manuel Lobo Antunes, a situação em território português "está controlada" e o país ficaria "feliz por receber o maior número possível de britânicos, como antes".

Fim do Estado de Emergência em Espanha

Espanha teve um final de semana conturbado, depois de ter estado 12 dias sem notícia de mortos, de uma assentada adicionou esta sexta-feirta 1177 nomes à lista de vítimas mortais da Covid-19.

O lema de Madrid não se alterou: Menos restrições, mas a mesma vigilância. Este sábado, no último dia do Estado de Emergência em Espanha, o primeiro-ministro afirmou que o país "tem o dever de seguir em frente". Pedro Sánchez quis no entanto sublinhar que "é preciso evitar uma segunda vaga".

Evitar uma segunda vaga, ou impedir uma reversão da primeira. É esse o objetivo também da Alemanha. Apesar de ser um dos países com melhores resultados no combate à pandemia, as redes de contágio na indústria de transformação de carnes são fonte de grande preocupação. Foi estabelecido um cordão sanitário à volta de uma fábrica que tem mais de mil trabalhadores com Covid-19. O administrador da cidade de Gütersloh acredita que ainda é possível prevenir um novo recolher obrigatório, porque não há um número significativo de casos fora das fábricas.

"Anjos" na guarda dos pacientes de Covid-19

O Papa retomou este fim-de-semana as audiências presenciais. Francisco recebeu profissionais da Saúde e da Proteção Civil a quem chamou de "anjos" na guarda dos pacientes de Covid-19.

Profissionais que não se sentem reconhecidos nalguns países europeus - como Portugal ou França.

Este sábado, ativistas pintaram de encarnado a fachada do ministério francês da Saúde, em Paris. À porta deixaram uma medalha falsa e um cartaz: "As contas da vergonha".

Outras contas fez o presidente russo. Em vésperas da votação da alteração constitucional que vai permitir candidatar-se de novo à Presidência da Rússia, Vladimir Putin, quis garantir as boas graças dos profissionais de saúde. Durante uma videoconferência anunciou que os bónus para os trabalhadores que estão a fazer face à pandemia vai ser estendido pelo menos até agosto. Nas contas oficiais, a Rússia é o terceiro país do mundo com mais infetados.