Última hora
This content is not available in your region

Presidente kosovar acusado de crimes de guerra

euronews_icons_loading
Presidente kosovar acusado de crimes de guerra
Direitos de autor  Visar Kryeziu/Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente do Kosovo, Hashim Thaci, está indiciado por 10 crimes de guerra, incluindo homicídio, tortura e perseguição, durante e após o conflito com a Sérvia. Thaci comandou o Exército de Libertação do Kosovo de 1998-99.

Outros nove antigos combatentes separatistas foram indiciados, incluindo Kadri Veseli, ex-presidente do Parlamento e líder do Partido Democrata, da oposição kosovar. A decisão foi anunciada, em comunicado, pelo procurador especial da Câmara de Especialistas do Kosovo, uma instituição sediada em Haia, nos Países Baixos.

Os alegados crimes que fazem parte da acusação envolvem centenas de vítimas conhecidas do Kosovo albanês, sérvio, cigano e outras etnias e incluem opositores políticos.
Procurador Especial da Câmara de Especialistas do Kosovo

A acusação data de 24 de abril, mas o procurador especial considerou necessário torná-la pública por acreditar que quer Hashim quer Veseli estão a tentar obstruir e prejudicar o trabalho do referido organismo.

Há 12 anos, o Tribunal Penal Internacional da ONU para a ex-Jugoslávia absolveu o ex-primeiro-ministro do país, Ramush Haradinaj, das acusações de crimes de guerra, durante a luta pela independência. Mas na altura os juízes concluíram que havia provas de assassinatos cometidos por outros membros do referido exército.

Mais de 10 mil pessoas morreram durante esta guerra. De acordo com as Nações Unidas mais de 16 mil continuam desaparecidas.