Última hora
This content is not available in your region

Derramamento de resíduos no Ártico

euronews_icons_loading
Derramamento de resíduos no Ártico
Direitos de autor  AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Uma gigante russa da mineração, a Nornickel, reconheceu ser responsável por uma "violação flagrante das regras operacionais" devido à libertação de combustível no Ártico.

A empresa diz que suspendeu os trabalhadores de uma fábrica de metais que bombearam águas residuais de um reservatório para a tundra, contaminando cursos de água e pondo em perigo a flora e a fauna.

Um jornal russo, a Novaya gazeta, mostrava imagens do local que liga a fábrica à floresta, dizendo que tudo aconteceu deliberadamente já que havia tubagens de ligação da unidade fabril ao exterior, retiradas quando foi iniciada uma investigação e antes do peritos e os serviços de emergência chegarem ao local.

É a segunda vez, em um mês, que a empresa se vê ligada a incidentes desta natureza. Em maio, cerca de 21.000 toneladas de gasóleo tinham vazado de um reservatório que colapsou, noutra fábrica. Parte do combustível infiltrou-se num lago que alimenta um braço do Ártico. Vladimir Putin declarava estado de emergência local enquanto o responsável pela empresa prometia custear a limpeza o que, de acordo com as autoridades russas, pode levar vários anos.