EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Que futuro para a Bielorrússia?

Que futuro para a Bielorrússia?
Direitos de autor Sergei Grits/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Sergei Grits/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Analista político entrevistado pela Euronews estima que não haverá mudança de paradigma nestas eleições presidenciais, apesar da oposição estar mais forte.

PUBLICIDADE

Os bielorrussos votam antecipadamente desde terça-feira para as eleições presidenciais de domingo, mas será que a voz do povo se fará ouvir? Com a limitação dos observadores a acompanhar o escrutínio, muitos analistas políticos duvidam.

"O sistema não está concebido para permitir a vitória da oposição, independentemente do número de votos obtidos. Nunca se saberá", lamenta Artyom Shraibman, analista político na Sense Analytics.

Shraibman justifica a sua posição com a forma de organização da contagem dos votos: "As comissões eleitorais que é suposto contarem os votos são compostas maioritariamente por elementos leais ao regime. Elementos do Estado, da polícia, professores, diretores escolares, representantes de autoridades locais, etc."

O escrutínio ocorre num contexto político altamente tenso. A economia bielorrussa está dividida entre um setor estatal fortemente protegido e um setor privado relativamente independente que se sente castigado por um clima de negócios não competitivo.

"Os fardos de suportar o setor público estão a ser distribuídos pelo setor privado, com impostos, com custos de água, eletricidade e gás mais baixos para o Estado e mais elevados para os privados. Tudo isto cria um ambiente tóxico em que o nível de crescimento da economia está bastante limitado", sublinha o analista político,

Shraibman não esconde o ceticismo em relação às reais possibilidades do movimento da oposição conseguir uma mudança de paradigma nas urnas. Acredita que pode ainda não ser suficiente para triunfar de outras formas: "A oposição tem algumas oportunidades nos protestos de rua. Este é provavelmente o único espaço onde o futuro se decidirá, o futuro do sistema. Neste momento, não parece que a oposição e o movimento de protesto estejam dotados do potencial e recursos suficientes."

Os acontecimentos dos próximos dias e semanas serão críticos para o futuro do país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Lukashenko afirma que Putin não lhe disse nada sobre a guerra com a Ucrânia

Chefe da diplomacia da UE aconselha Estados-membros a faltarem à tomada de posse de Putin

Presidenciais eslovacas: vitória de Pellegrini reforça governo eurocético de Robert Fico