Última hora
This content is not available in your region

'Trabalhadores da noite' protestam em Atenas

euronews_icons_loading
Protesto em Atenas
Protesto em Atenas   -   Direitos de autor  .
Tamanho do texto Aa Aa

Os trabalhadores de bares e discotecas gregos manifestaram-se em Atenas contra a medida do Governo de encerrar estes estabelecimentos após a meia-noite como medida para conter a pandemia da Covid-19.

Depois de meses sem poderem trabalhar, estes profissionais pedem ajuda ao Executivo de Kyriakos Mitsotakis.

Anastasia Giousef é cantora e dançarina e afirma que não consegue viver por falta de dinheiro e diz que "o Governo precisa de reconsiderar a decisão e reabrir as discotecas" pois não compreende "como é que o vírus só pode ser transmitido depois da meia-noite." Para ela é um absurdo e garante que não consegue pagar as suas contas.

Também a cantora Evi Kranideli está revolta e pede ao primeiro-ministro para ajudar os artistas nem que seja com um subsídio. Kranideli afirma que quer apenas a sua vida de volta e exige mudanças.

Os cientistas que aconselham o Governo compreendem o custo financeiro, mas argumentam que estas medidas são absolutamente necessárias e temporárias.

O epidemiologista Gkikas Magiorkinis afirma que sabem "que o encerramento das discotecas à meia-noite tem um sério impacto social e económico. No entanto, foi demonstrado que nestes locais os jovens apanham e transmitem o vírus." O cientista garante que não houve outra escolha e que as autoridades esperam que tudo volte ao normal em breve.

"O Governo compreende a angústia dos profissionais do turismo e da restauração, mas nota que a saúde pública é a prioridade máxima. O Ministério das Finanças sublinha que nos últimos seis meses, foram tomadas medidas significativas para apoiar as empresas e os trabalhadores", relata o jornalista da euronews Apostolos Staikos.