Última hora
This content is not available in your region

Mundo aperta o cerco à Covid-19

euronews_icons_loading
Mundo aperta o cerco à Covid-19
Direitos de autor  Kirsty Wigglesworth/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Pessoas que apresentam sintomas ou em contacto com alguém contaminado terão prioridade nos testes de despistagem da Covid-19, em França. Segundo o primeiro-ministro do país, Jean Castex, esta prioridade também vai ser aplicada em laboratórios e pontos móveis. Vão ser recrutadas duas mil pessoas para os processos de rastreamento e o período de quarentena passa para sete dias. Também anunciou que 42 departamentos do país são agora considerados zonas vermelhas. Medidas impostas depois do aumento do número de casos - o país registou quase dez mil novas infeções por Covid-19 em apenas um dia.

No Reino Unido, os casos de coronavírus aumentaram 60%. Assiste-se a um avanço do vírus no norte do país e entre os jovens. De acordo com as últimas medidas, devem ser evitados ajuntamentos de pessoas, em Birmingham, a partir de terça-feira. Segundo Boris Johnson é preciso agir agora, para impedir que o vírus se propague.

A Áustria, estabelece igualmente restrições mais rígidas, principalmente em Viena. A partir de segunda-feira, as máscaras voltarão a ser obrigatórias em todas os espaços fechados. O chanceler austríaco diz que afirma que estas medidas podem ficar em vigor durante algum tempo.

Se quiser ouvir um prognóstico, não acredito que a situação melhore nas próximas semanas. Porque o dia a dia vai passar a ser vivido cada vez mais em espaços fechados, abrem as escolas e a vida acontece menos ao ar livre... Portanto, vamos precisar destas medidas pelo menos durante o inverno. E não podemos prometer que não serão necessárias mais restrições. O objetivo é evitar outro bloqueio.
Sebastian Kurz
Chanceler austríaco

Israel é o primeiro país a voltar a um bloqueio total, devido a um grande aumento de casos confirmados no país. Na quinta-feira foram diagnosticadas mais de quatro mil novas infeções pelo segundo dia consecutivo. Desde o início da pandemia, Israel já contabilizou mais de 140 mil casos de Covid-19.

Em Espanha, foram registados mais de doze mil casos diários. Com o regresso ao trabalho e às escolas, o novo coronavírus trouxe o velho problema do aumento das infeções a nível mundial.