Última hora
This content is not available in your region

10.000 mulheres desfilam contra Lukashenko

euronews_icons_loading
Protesto contra Lukashenko
Protesto contra Lukashenko   -   Direitos de autor  STRINGER/EPA - © 2020 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.
Tamanho do texto Aa Aa

Unidades antimotim das forças de segurança bielorrussas detiveram violentamente dezenas de mulheres que participaram este sábado em mais uma manifestação na capital, Minsk, para contestar a violência policial e denunciar a fraude eleitoral que conduziu à reeleição do presidente Alexander Lukashenko, a 9 de agosto.

"Estão a apanhar todas as pessoas que vêem. Será que pensam que podem deter toda a gente?", afirmava uma manifestante no meio do caos.

Cerca de 10.000 mulheres desfilaram ruidosamente pelo centro da capital bielorrussa para exigir o afastamento de Lukashenko, no trigésimo quinto dia consecutivo de protestos contra o regime autoritário do homem que dirige o país com mão de ferro há 26 anos.

Criticado pelo Ocidente, o presidente bielorrusso tem tentado cimentar os laços com o principal aliado, a Rússia.

Lukashenko tem previsto deslocar-se na próxima segunda-feira à estância balnear de Sochi, para um encontro com o homólogo russo, Vladimir Putin.

Numa entrevista encenada com jornalistas pró-governamentais, esta semana, o presidente bielorrusso admitiu vagamente que está sentado na cadeira do poder há muito tempo, mas descartou qualquer intenção de ceder as rédeas do país.