Última hora
This content is not available in your region

Reino Unido com falta de testes para a Covid-19

euronews_icons_loading
Reino Unido com falta de testes para a Covid-19
Direitos de autor  Matt Dunham/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

O aumento rápido de novos casos de Covid-19 e a falta de testes, desenham um cenário negro no Reino Unido.

O Governo de Boris Johnson admitiu existirem "desafios operacionais", no entanto, os britânicos não entendem o que consideram ser falta de preparação para o início do outono.

Para a professora Toni Borrow, que acordou com sintomas na semana passada, tem sido frustrante.

Conta que tentou fazer um teste, mas foi impossível. Sugeriram-lhe, mesmo, que deveria ir à Escócia...

A falta de testes e as longas filas para os fazerem têm gerado queixas, um pouco por todo o país.

O jornalista da euronews, Luke Hanrahan tentou perceber se era possível fazer um teste à Covid-19 na cidade de Greenwich...

Depois de algumas voltas, Hanrahan conta que parece que é necessário fazer uma marcação para obter um teste da Covid-19 e essa é uma informação que não está explícita no portal da internet. O jornalista questiona "se outras pessoas tiveram a mesma experiência".

Num automóvel, Sheila Bonnelane e a filha voltam para trás sem conseguirem marcar um teste.

Sheila conta que foram rejeitadas embora tenha estado dois dias a tentar fazer a marcação na internet. A mulher reclama que não há um número de telefone para onde possa ligar e na internet apenas dizem que o portal está com um excesso de tráfego.

Sheila conta, ainda, que antes de a mandarem embora, os funcionários a aconselharam a continuar a tentar fazer a marcação através da internet.

Agora, com oito milhões de crianças a retornarem à escola e com as pessoas a voltarem para os trabalhos, o deputado trabalhista Jon Asworth apela ao Executivo britânico para que evite o descontrolo numa segunda vaga.

Asworth afirma que o Governo tem de fazer melhor pois cometeram-se muitos erros durante a primeira vaga e que ninguém quer ver erros ministeriais na segunda.

O Governo diz que espera aumentar a capacidade para meio milhão de testes por dia - até ao final de outubro.