Última hora
This content is not available in your region

Repensar o turismo depois da pandemia

euronews_icons_loading
Repensar o turismo depois da pandemia
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

O Business Planet analisa o setor de viagens e turismo da Europa, um dos mais atingidos pelas restrições do coronavírus, para descobrir o que a União Europeia está a fazer para ajudar as empresas.

É preciso tranquilizar as pessoas

Anne Prost organiza visitas na zona antiga Lyon e nos principais pontos gastronómicos da cidade. No dia em que nos encontramos, ela receber um grupo de estudantes de gestão. O seu negócio, que está concentrado no mercado empresarial, estava em plena expansão antes da pandemia. Agora, Anne diz que é tudo uma questão de sobrevivência e admite que teve de tomar algumas decisões difíceis.

"Infelizmente, tive de despedir os estagiários. Depois, foi importante tranquilizar os clientes que já me tinham pago, dizer-lhes que os ia reembolsar, ou que ia pôr o dinheiro de lado para um futuro serviço. E depois tive de telefonar outra vez aos clientes para lhes dizer que ainda aqui estou, e que assim que sairmos deste período, poderei oferecer um novo e ainda mais incrível serviço".

Como a maioria dos empresários, Anne teve de adaptar o seu modelo de negócio "à nova normalidade".

"Trata-se de tranquilizar as pessoas. Explicar que, no exterior, estarão em pequenos grupos, mesmo que isso signifique fazer vários pequenos grupos. Trata-se de adaptar e tranquilizar as pessoas".

Apesar da queda da procura e de todos os desafios, Anne está otimista e diz que começam a regressar alguns clientes internacionais

"No início, foi muito complicado. Os estudantes estrangeiros puderam regressar e instalar-se em Lyon porque estudam em escolas francesas. Depois foi mais complicado para as empresas, foram-lhes recusados muitos vistos. Mas tenho algumas reservas que estão a ser confirmadas, e continuo muito positiva".

O caminho para a recuperação

  • A indústria do turismo é responsável por 10% do PIB da União Europeia.
  • Os serviços no setor caíram 75% de fevereiro a junho.
  • Para salvar milhões de postos de trabalho, a Comissão Europeia flexibilizou as regras dos auxílios estatais e tem utilizado o seu poder financeiro através de vários programas e fundos europeus.

Especialistas da indústria de viagens, como Emmanuel Mounier da EU Travel Tech, aplaudem a iniciativa de Bruxelas de introduzir critérios comuns para os estados membros que impõem restrições de viagem.

"Para voltarem a viajar, as pessoas precisam de se sentir seguras e confiantes. É vital que os países europeus se coordenem quando impõem restrições de viagem. Têm de utilizar critérios comuns para designar áreas de risco com base em provas científicas e têm de estabelecer protocolos de testes para as viagens".

A pandemia teve um impacto devastador no setor turístico europeu, mas a esperança é que possa dar origem a uma transformação positiva, criando férias mais ecológicas e sustentáveis. Este continua a ser um objetivo a longo prazo para a Europa. A Comissão Europeia quer utilizar alguns dos 750 mil milhões de euros recentemente acordados no Fundo de Recuperação para tornar o turismo mais sustentável.

Pontos-chave

A Comissão Europeia estabeleceu uma série de medidas para apoiar o setor das viagens e turismo

- Em maio, adotou o pacote de iniciativas e critérios comuns em matéria de turismo e transportes.

- Em junho, foi lançada a aplicação móvel REOPEN EU para fornecer aos turistas informações relevantes sobre viagens seguras na UE.

A Comissão quer assegurar liquidez às empresas de turismo, em particular às PME, através da flexibilidade ao abrigo dos auxílios estatais e do financiamento europeu:

- fornecimento de liquidez imediata às empresas afetadas pela crise através da Iniciativa de Investimento de Resposta ao Coronavírus, sob gestão partilhada com os estados membros.

- disponibilizar até 8 mil milhões de euros em financiamento para 100.000 pequenas empresas afetadas pela crise, através do Fundo Europeu de Investimento.

- o programa SURE está a ajudar os estados membros a cobrir os custos dos regimes nacionais de trabalho a tempo reduzido e medidas semelhantes que permitem às empresas salvaguardar os postos de trabalho. A Comissão está também a apoiar parcerias entre serviços de emprego, parceiros sociais e empresas para facilitar a requalificação, especialmente dos trabalhadores sazonais.

- Em julho, o Conselho Europeu chegou a um acordo sobre o plano e orçamento de recuperação da UE entre 2021-2027. Autoriza a Comissão a emprestar até 750 mil milhões de euros nos mercados financeiros.

Links úteis

Pacote de turismo e transportes

REOPEN UE

Iniciativa de Investimento em Resposta ao Coronavírus

Fundo Europeu de Investimento

Programa SURE