Última hora
This content is not available in your region

Tempestade "Alex" atinge norte de Itália

euronews_icons_loading
Tempestade "Alex" atinge norte de Itália
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Parte do norte de Itália foi varrida pela tempestade Alex. As chuvas torrenciais atingiram picos que não se viam desde 1958 na região norte do Piemonte, de acordo a proteção civil.

Uma intempérie que já fez, pelo menos, um morto. Um bombeiro acabou por falecer durante uma operação de resgate, na região montanhosa do norte de Val d'Aosta. As autoridades adiantam agora que 21 pessoas, dadas como desaparecidas, foram socorridas em França.

A chuva provocou inundações que destruíram pontes, bloquearam estradas e deixaram comunidades isoladas.

*Veneza escapou à fúria das águas do Adriático*

Em Veneza, as autoridades preparavam-se para que a cidade, e a icónica Praça de São Marcos, fosse inundada por uma "acqua alta", um pico de maré vindo do Adriático. Mas a complexa rede de 78 diques artificiais, construída para evitar este tipo de situações, evitou o pior.

Um lojista, Giovanni Fabris, falava de um "acontecimento histórico", o facto de não haver inundações. Explicava ainda que, na sexta-feira, a maré estava mais baixa mas havia mais água na famosa praça. "Um facto incrível" que partilhou, através de fotografias, com alguns amigos para mostrar que a praça "está vazia de água e não cheia como de costume. Mais do que incrível, é emocionante", desabafa.

"Para mim foi uma coisa linda", refere uma comerciante, Nicoletta De Rossi, também surpreendida. E acrescenta que vai "torcer" para que o sistema, conhecido por Mose, continue a funcionar para "salvar Veneza e a Praça de São Marcos".

Veneza que começa a ver regressar os turistas depois de meses de incerteza provocada pela pandemia de Covid-19.