Última hora
This content is not available in your region

Protesto em Luanda exige demissão de braço direito de João Lourenço

euronews_icons_loading
Cerca de 100 manifestantes marcharam em Luanda para exigir a demissão de Edeltrudes Costa
Cerca de 100 manifestantes marcharam em Luanda para exigir a demissão de Edeltrudes Costa   -   Direitos de autor  AMPE ROGÉRIO/ 2020 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.
Tamanho do texto Aa Aa

Luanda foi palco de um protesto no sábado à tarde para exigir a demissão de Edeltrudes Costa, chefe de gabinete do Presidente de Angola, João Lourenço, por alegado desvio de milhões de euros em contratos com o Estado.

A marcha de cerca de uma centena de pessoas teve início do largo das heroínas e parou na zona da Mutamba onde um cordão policial impediu que se aproximasse da Cidade Alta, centro do poder político em Luanda, que alberga o Palácio Presidencial.

O caso foi noticiado pelo canal de televisão português TVI e envolve a contratação de uma empresa de consultoria de Edeltrudes Costa, que foi também ministro de estado e chefe da casa civil na presidência de José Eduardo dos santos. Um dos negócios serviria para modernizar os aeroportos angolanos e terá rendido vários milhões de euros em contratos autorizados pelo chefe de Estado angolano.

A notícia originou, na TV Zimbo, a demissão de Carlos Rosado um dos mais reputados jornalistas angolanos. O economista e ex-diretor do jornal expansão recusou continuar no canal depois de lhe ter sido pedido para não abordar o tema no seu programa como estava previsto.

Os organizadores do protesto estão a recolher assinaturas para uma petição pública que será enviada ao Presidente da República.