Última hora
This content is not available in your region

Investidores apostam em obrigações SURE para financiar layoff

Access to the comments Comentários
De  Isabel Marques da Silva  & Joanna Gill
euronews_icons_loading
Investidores apostam em obrigações SURE para financiar layoff
Direitos de autor  Francisco Seco/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

A bolsa de valores de Luxemburgo assinalou, esta terça-feira, a transação inaugural dos títulos de obrigações do programa SURE da União Europeia.

O SURE visa angariar, nos mercados financeiros, 100 mil milhões de euros para ajudar os Estados-membros a pagarem programas de combate ao desemprego por causa da pandemia de Covid-19, nomeadamente o layoff (redução do horário de trabalho ou suspensão dos contratos dos funcionários das empresas).

“É uma obrigação de investimento social para dar uma resposta social através dos instrumentos financeiros de que dispomos e que são necessários”, realçou Xavier Bettel, primeiro-ministro do Luxemburgo.

A primeira emissão destas obrigações de investimentos social foi no valor de 17 mil milhões de euros. A procura foi 13 vezes superior à oferta e revelou a grande confiança dos investidores na primeira iniciativa deste tipo da Comissão Europeia.

“A resposta dos mercados merece um aplauso retumbante. Os pedidos de investimento atingiram o valor incrível de 233 mil milhões de euros. Como profissional de mercados estou acostumado a grandes números, mas estes deixaram-me pasmado", afirmou Robert Scharfe, director-geral da LuxSE (bolsa de valores do Luxemburgo).

A primeira emissão foi feita em duas tranches com diferente maturidade da dívida: uma de 10 mil milhões de euros, com vencimento em outubro de 2030, e outra de 7 mil milhões de euros, com vencimento em 2040.

Até agora, 17 dos 27 países da União Europeia mostraram interesse em receber dinheiro do programa SURE. Portugal vai receber um empréstimo de 5,9 mil milhões de euros.