Última hora
This content is not available in your region

Nuremberga preserva legado arquitetónico do regime nazi

euronews_icons_loading
Nuremberga preserva legado arquitetónico do regime nazi
Direitos de autor  CHRISTOF STACHE / AFP
Tamanho do texto Aa Aa

75 anos após o fim da Segunda Guerra Mundial, os restos arquitetónicos do regime nazi são ainda parte integrante da cidade de Nuremberga, na Alemanha.

Os edifícios são preservados como testemunhas de pedra e cal da história. A tribuna principal do Campo Zeppelin, onde se realizaram os congressos do Partido Nazi, está a desmoronar-se.

A cidade quer angariar cerca de 85 milhões de euros, até 2025, para obras de preservação.

Julia Lehner, presidente adjunta da autarquia de Nuremberga contextualiza do que se trata:

"Isto era aquilo a que chamamos o lugar dos perpetradores, era aqui que se realizavam os congressos do Partido Reich, era aqui que a chamada Volksgemeinschaft ("comunidade do povo") era ajuramentada em ideologia. Foi aqui que as fundações foram lançadas, tendo sido posteriormente resumidas nas leis raciais. A partir daqui o caminho levou ao extermínio, à exclusão, e finalmente à Shoah"

A um passo do Campo Zeppelin está localizado o Coliseu inacabado, que hoje alberga o centro de documentação do Centro de Congressos do Partido Nazi.

O diretor do centro de documentação, Florian Dierl, explica o significado dos monumentos: "Os edifícios que ainda hoje existem são, eles próprios, um documento da era nacional-socialista. Isto significa que, enquanto relíquias arquitetónicas, representam a imagem ideal que o regime nacional-socialista tinha do Terceiro Reich".

No coliseu inacabado não será feito qualquer restauro ou reconstrução do local. De acordo com a cidade de Nuremberga, o objetivo é assegurar o status quo a longo prazo. Isto deverá também dar às gerações futuras a oportunidade de lidarem com os edifícios e a época que eles representam.