Última hora
This content is not available in your region

Biden e Trump concentram-se no combate à covid em separado

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Biden e Trump concentram-se no combate à covid em separado
Direitos de autor  Susan Walsh/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Com aumento incessante de casos de coronavirus nos Estados Unidos, o presidente eleito norte-americano fez um apelo para a ação urgente no combate à pandemia no país.

Na mesma altura em que apresentou a sua equipa para a área da Saúde, Joe Biden sublinhou as prioridades do governo. Pediu aos americanos para usarem máscara pelo menos durante 100 dias, o empenho para que sejam administradas 100 milhões de vacinas e o compromisso de tentar reabrir a maioria das escolas.

"Os meus primeiros 100 dias não vão acabar com o vírus da Covid-19, não posso prometer isso. Mas não entrámos nesta trapalhada de forma rápida, por isso, também, não vamos sair rapidamente. Vai levar algum tempo. Mas estou absolutamente convencido que em 100 dias podemos alterar o percurso da doença e mudar, para melhor, a vida na América", declarou Biden.

Quanto ao Presidente em exercício, esteve numa cimeira de médicos, empresários e legisladores na Casa Branca para debater o programa de vacinação, apelidado de Operação Warp Speed.

"Estamos a apenas alguns dias da aprovação por parte da FDA, autoridade do medicamento, e estamos a pressioná-la bastante para avançarmos imediatamente com a distribuição em massa. Antes da Operação Warp Speed o tempo normal para o desenvolvimento e aprovação, como sabem, poderia ser infinito. E estamos muito, muito satisfeitos por termos conseguido ter as coisas feitas a um nível nunca antes visto", explicou.

Donald Trump assinou uma ordem executiva para dar "prioridade aos norte-americanos" na administração das vacinas produzidas nos Estados Unidos, antes de fornecer doses a outros países.

Joe Biden não participou na reunião e quando se perguntou ao Presidente porque não foi incluída uma pessoa da equipa da transição presidencial, Trump afirmou que espera que a próxima administração seja a administração Trump, pois, sublinhou, foram eles "venceram as eleições".