Europa reforça medidas restritivas para controlar segunda vaga de Covid-19

Europa reforça medidas restritivas para controlar segunda vaga de Covid-19
Direitos de autor AFP
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Restrições não abrandam mesmo com a chegada da vacinas.

PUBLICIDADE

A segunda vaga de Covid-19 na Europa obrigou vários países a voltarem às restrições e as economias europeias sofrem também um segundo golpe. Foram registados mais de 20 milhões de casos desde que o vírus chegou ao continente europeu no início do ano. Nos últimos sete dias, quase 40% dos novos casos em todo o mundo foram detetados na Europa.

Mesmo com a chegada das vacinas, as restrições não abrandaram. Dois dos principais estados da Alemanha avançam em direção a medidas rígidas, mesmo durante o período de Natal. A Baviera acaba de confirmar o encerramento de lojas e escolas e a proibição da venda de álcool em locais públicos.A Saxónia avança com controlos na fronteira com a Polónia e a República Checa, numa altura em que Academia das Ciências da Alemanha aconselha a imposição de um confinamento nacional.

Para além dos períodos de quarentena, os governos apostam nos testes em massa. A Eslováquia conseguiu reduzir a taxa de infeção por Covid-19 em cerca de 60% numa semana. Os trabalhadores foram obrigados a apresentar um certificado de saúde recorrendo aos testes rápidos. Qualquer pessoa que obtivesse resultado positivo tinha de cumprir um período de quarentena com a família, mas com o pagamento do salário integral durante 10 dias de isolamento.

O Reino Unido começou o programa de vacinação, mas o Primeiro Ministro Boris Johnson é realista sublinhando uma imunização gradual e uma longa batalha pela frente. Com a possibilidade de imposição de duras restrições na altura do Natal, já que os dados mostram que as infeções aumentaram na capital do país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

França impõe novo recolher obrigatório

Venda alternativa de vinho quente na rua chega ao Parlamento

Papa Francisco critica "falta de humanidade" com que a Europa trata os migrantes