EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Ilha britânica ameaçada pelo maior icebergue do mundo

Ilha britânica ameaçada pelo maior icebergue do mundo
Direitos de autor UK MOD © Crown copyright 2020
Direitos de autor UK MOD © Crown copyright 2020
De  Francisco Marques
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Força Áerea do Reino Unido está a monitorizar a rota do A68a, maior que todo o território de Cabo Verde e que está à deriva no Atlântico, a aproximar-se da Geórgia do Sul

PUBLICIDADE

O território ultramarino britânico da Geórgia do Sul está sob ameaça pelo atual maior icebergue do mundo, como está a ser descrito o A68a.

O colossal bloco de gelo separado da Antártica desde 2017 está à deriva no Atlântico sul. Com cerca de 4.200 km2, o A68a ocupa uma área superior a todo o território de Cabo Verde (4.033 km2) ou da Polinésia Francesa (4.167 km2).

Monitorizado pela Força Aérea Britânica (RAF, na sigla original), que divulgou agora o vídeo mais recente do A68a, e pelo Governo da Geórgia do Sul, os últimos dados situam o icebergue a cerca de 150 quilómetros a sudoeste da costa Geórgia do Sul, conhecida como "o cemitério" dos icebergues da Antártica.

As autoridades têm bem presente o ocorrido há 17 anos e por isso estão a seguir com muita atenção a progressão do A68a. Se o icebergue encalhar na Geórgia do Sul, pode ameaçar as espécies animais nativas do arquipélago.

No final de 2003, após o icebergue A38 ali encalhar, as praias encheram-se de juvenis de focas e pinguins mortos, afetados nas suas rotas de alimentação pelo bloqueio provocado pelo icebergue.

O A68a está a derreter e a desfazer-se, mas não é possível ainda perceber quando irá demorar até se tornar completamente em água nem se as correntes o irão mesmo empurrar para a Geórgia do Sul.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Icebergue ameaça aldeia na Gronelândia

Avenida de icebergs: o alarmante espetáculo do degelo no Ártico

Flor-cadáver desabrochou em São Francisco