Última hora
This content is not available in your region

Bulgária recupera um dos símbolos do comunismo no país

euronews_icons_loading
Buzludja
Buzludja   -   Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

O monumento Buzludja é uma das obras mais espetaulares do regime comunista búlgaro. Foi construído no monte com o mesmo nome, na cordilheira dos Balcãs, e foi criado para glorificar o regime.

Os trabalhos de construção começaram em 1974 e foram financiados por doações. Ficou concluído em 1981, mas depois da queda do comunismo foi completamente abandonado. Hoje atrai sobretudo turistas e exploradores urbanos curiosos.

Este ano, durante o verão, uma equipa de restauradores recuperou alguns dos mosaicos internos. Cobrem uma área de cerca de mil metros quadrados, o que equivale a mais de 2 milhões de peças.

Thomas Danzl, da Universidade Técnica de Munique, explica que a infiltração de água congela, especialmente no inverno. E, por isso, os poros da argamassa estão, literalmente, a expandir e a explodir. O professor destaca dois aspetos nesta obra: as dimensões e a alta qualidade de execução. E lamenta a destruição dos últimos anos pelo vandalismo.

O monumento é propriedade pública, mas o trabalho de restauração é financiado pelo setor privado. Desmantelar ou manter estes monumentos é uma questão polémica na Bulgária. O planeamento e o trabalho nos mosaicos custaram, até agora, mais de 200 mil euros.

Dora Ivanova, coordenadora do projeto de restauro, diz que é preciso recorrer a alguns dos mais experientes especialistas na matéria. Sublinha que o trabalho é muito desafiante porque todos os mosaicos têm materiais diferentes e porque é uma tarefa que até agora não tinha sido feita no país.

O restauro é feito por uma equipa internacional composta por 18 pessoas de quatro universidades europeias e de várias ONG. Vieram da Alemanha, Grécia, Suíça e Bulgária.

A conservação do monumento de Buzludja já tem garantido um novo financiamento. Apesar da destruição e do vandalismo continua a ser um dos símbolos do comunismo na Bulgária.