Última hora
This content is not available in your region

Ambiente de tensão na Arménia

De  euronews
euronews_icons_loading
Ambiente de tensão na Arménia
Direitos de autor  Stepan Poghosyan/PHOTOLURE
Tamanho do texto Aa Aa

O primeiro-ministro da Arménia mobiliza os apoiantes nas ruas de Yerevan. Nikol Pachinian, de megafone na mão, reuniu os partidários no centro da capital, para marcar presença enquanto autoridade do país, numa altura em que oposição e o exército exigem a sua demissão.

Algumas pessoas querem arrastar o exército para processos inconstitucionais. Esta é uma tentativa de golpe, mas o povo não permitirá um golpe militar na Arménia.
Nikol Pachinian
Primeiro-ministro da Arménia

A oposição realizou uma manifestação paralela e os manifestantes pretendem continuar o protesto até a saída do chefe do governo.

Um ambiente de tensão que não deixou a Turquia indiferente. O país vizinho fez questão de condenar a tentativa de golpe.

Somos absolutamente contra golpes de estado, ou tentativas de golpe, seja onde for no mundo. Portanto, condenamos veementemente esta tentativa de golpe na Arménia. É claro que nas democracias os cidadãos e as pessoas podem criticar o governo e até exigir a sua renúncia. São coisas naturais, mas é inaceitável que os soldados peçam a renúncia de um governo eleito, quanto mais um golpe.
Mevlut Cavusoglu
Ministro dos Negócios Estrangeiros da Turquia

O primeiro-ministro da Arménia está sob pressão há semanas depois da derrota militar e política frente ao Azerbaijão em 2020, no conflito de Nagorno Karabakh - um enclave arménio, mas sob o controlo administrativo do Azerbaijão.

Uma derrota que foi considerada uma humilhação nacional pelos opositores e que pode comprometer o seu destino político.