Profissionais do sexo exigem voltar ao trabalho

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira  com AFP, AP, EVN
Profissionais do sexo exigem voltar ao trabalho
Direitos de autor  Patrick Post/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved

Nos Países Baixos, os profissionais do sexo exigem autorização para voltar a trabalhar já que outros setores, que obrigam também ao contacto com os clientes, como salões de beleza e massagistas, reabrem portas esta quarta-feira. 

Em Haia, frente ao parlamento, fizeram ouvir as suas vozes e indignação até porque, lia-se num cartaz, o setor gera, anualmente, 25 mil milhões de euros mas não tem ajudas. Uma das manifestantes, Melissa, explicava que têm de pagar renda, como qualquer outra pessoa que trabalha e dizia não compreender porque que é que todos podem trabalhar exceto eles uma vez que, salientava, não recebem apoio financeiro de ninguém. Acrescentava que estão sozinhos.

Outra, Moira Mona, dizia que é possível ser-se criativo. No seu caso é dominadora por isso não precisa de ter contacto físico com o cliente. É preciso ser-se criativo e "apelar à imaginação", concluia.

Nos últimos dias tem havido um importante número de novas infeções no país, pelo que o governo admite que a estratégia de redução das restrições até é arriscada. Para já, e até pelo menos 15 de março, bares e restaurantes ficam também fechados. Para protestar contra a decisão alguns proprietários de cafés e restaurantes abriram as suas esplanadas na terça-feira.