Última hora
This content is not available in your region

Palma está "completamente" controlada

euronews_icons_loading
Pemba, Moçambique
Pemba, Moçambique   -   Direitos de autor  AFP/Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades militares moçambicanas dizem que a ameaça extremista em Palma, Cabo Delgado, está controlada. De acordo com o porta-voz no Teatro Operacional Norte, Chongo Vidigal, as Forças de Defesa e Segurança do país assumiram "completamente" o controlo de vila que há 11 dias era alvo de ataques por grupos armados.

Espera-se, agora, reunir condições para o regresso das populações a casa. Mas Palma está, parcialmente destruída e deverá haver todo um trabalho de recuperação dos edifícios danificados, das habitações, antes de fazer regressar os residentes, traumatizados por três anos e meio de uma luta de guerrilha, que terminou com centenas ou mesmo alguns milhares de mortos entre os civis. E é preciso, acima de tudo, manter o território sob vigilância militar para evitar a infiltração de grupos armados. E resolver uma crise humanitária criada por este drama que levou milhares de pessoas a fugirem de Palma, deixando tudo para trás, e a refugiarem-se em localidades como Pemba.

Shelley Thakral, do Programa Alimentar Mundial, explicava que estimavam que há 50.000 pessoas afectadas e que estão em várias localidades. O organismo estava a providenciar alimentação, em vários pontos do país, para esses deslocados internos que estão a atravessavam a pé ou por estrada a província.

A vários anos que grupos extremistas se movimentavam em Moçambique mas foi há cerca de uma semana que atacaram a vila de Palma localizada a cerca de seis quilómetros das infraestruturas de prospeção de gás natural, geridas pela francesa Total.