Última hora
This content is not available in your region

Comissão Europeia aprova ajuda à Air France

euronews_icons_loading
Comissão Europeia aprova ajuda à Air France
Direitos de autor  Francois Mori/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Após semanas de negociações, a Comissão Europeia acaba de aprovar o plano do Governo francês para injetar até quatro mil milhões de euros na Air France, fortemente atingida pelo colapso no tráfego aéreo durante a pandemia da Covid-19

O Estado gaulês será autorizado a aumentar a sua participação na companhia nacional para "um pouco menos de 30%", em comparação com os atuais 14,9%.

Três mil milhões de euros de empréstimo estatal seriam convertidos em capital próprio.

A União Europeia diz, no entanto, que o acordo tem algumas condições:

Em troca, a Air France deve ceder aos concorrentes 18 faixas horárias no aeroporto de Paris Orly, onde a companhia tem uma quota significativa de mercado. A Comissão Europeia tinha inicialmente solicitado 24 faixas horárias, ou seja, 7% das faixas detidas, atualmente, pela Air France.

A ideia teve, inicialmente, a oposição de Paris que receava que isso favorecesse as companhias aéreas de baixo custo. Por conseguinte, o número de faixas horárias foi ligeiramente reduzido e a Air France obteve a garantia de Bruxelas de que as companhias que praticam dumping social e fiscal não podem utilizar essas faixas horárias.

A Air France não é a única companhia que teve de fazer este tipo de concessão. À companhia de bandeira holandesa KLM, que forma uma aliança com a Air France, está a ser-lhe solicitado que ceda, também, faixas no aeroporto de Asmterdam-Schipol.

A alemã Lufthansa teve de ceder 24 faixas horárias nos aeroportos de Frankfurt e Munique em troca de uma ajuda de seis mil milhões de euros.