EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Procuram-se soluções para ajudar as populações de Cabo Delgado

Cabo Delgado, Moçambique
Cabo Delgado, Moçambique Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Neusa Silva com AFP, LUSA
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Organizações não-governamentais estão no terreno. Programa Alimentar Mundial precisa de mais de 80 milhões de dólares para cumprir necessidades das populações.

PUBLICIDADE

Moçambique tem vivido, nos últimos anos, grandes desafios. Catástrofes naturais que criaram dramas humanitários e prejuízos económicos colossais e uma ameaça terrorista, que assumiu grandes proporções nas últimas semanas e que levou ao exodo de milhares de pessoas, há morte de muitas centenas e a uma nova crise humanitária.

O Programa Alimentar Mundial é uma das organizações que está no terreno. Denise Coletta, explica que estão a fornecer ajuda de emergência no terreno. desde 2017.

O governo continua a dizer que a situação está controlada, em termos militares mas o drama que vivem as populações é inimaginável e as necessidades aumentam todos os dias.

De acordo com Denise Coletta "para fornecer um kit alimentar de resposta para 50 mil pessoas, que é a estimativa de pessoas afetadas pelos recentes ataques em Palma, para 14 dias, e depois uma cesta mensal de três meses para essas pessoas, que inclui também um super cereal para repôr as necessidades nutricionais dessas pessoas, é requerido quatro mihlões de dólares". O organismo "está em processo de ampliação da assistência alimentar na região norte de Moçambique, com um plano de atender 750 mil pessoas nas províncias de Cabo Delgado, Nampula, Niassa e Zambézia", precisa, portanto, até ao fim de 2021, de 82 milhões de dólares.

De acordo com o Programa Alimentar Mundial a situação humanitária e de segurança alimentar tem piorado devido à escalada de violência que leva à debandada das populações. O organismo diz que mais de 950.000 pessoas em Cabo Delgado, Niassa e Nampula estão em fome severa impulsionada pela insegurança e agravada por choques climáticos, que afetaram a agricultura e os seus meios de subsistência.

Veja a entrevista aqui a entrevista completa.

Nome do jornalista • Nara Madeira

Editor de vídeo • Nara Madeira

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ajuda humanitária de Portugal e Itália para Moçambique

SADC debate crise em Cabo Delgado

Os desafios de ser professor em Cabo Delgado