Última hora
This content is not available in your region

Covid-19 é a grande ameaça global

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira
euronews_icons_loading
Covid-19 é a grande ameaça global
Direitos de autor  frame
Tamanho do texto Aa Aa

A pandemia de Covid-19 continua a ser o grande "quebra-cabeças" a nível global. A Organização Mundial da Saúde já o disse, "ninguém está seguro até que todos estejam seguros", mas está-se longe de controlar a situação. Por um lado há as novas variantes que vão surgindo, e as contradições nas mensagens transmitidas por quem dita as regras do jogo, por outro há a questão das vacinas e o desequilíbrio em termos da sua distribuição.

António Guterres explicava que_ "só 10 países, em todo o mundo, são responsáveis por cerca de 75 por cento das vacinações globais. Muitos países ainda não começaram a vacinar os seus profissionais de saúde e cidadãos mais vulneráveis. Uma falha global da vacina ameaça a saúde e o bem-estar de todos. O vírus é perigoso em qualquer lugar se se espalhar, sem controlo por toda a parte"._

Os EUA estão entre os 100 Estados que estão a vacinar os seus cidadãos, cerca de quatro milhões de pessoas por dia. Mas em cerca de 30 países, grande parte deles em África, ainda não se administrou a primeira dose.

O programa Covax, uma iniciativa internacional de doação de vacinas para países empobrecidos e em desenvolvimento, está a tentar reequilibrar a balança mas não é fácil. Já foram entregues quase 38,4 milhões de doses, a 102 países em seis continentes, e pretende entregar-se mais de dois mil milhões este ano, mas os desafios são gigantescos.

Há atrasos nas entregas mesmo aos países que encomendaram milhões de doses para uso próprio, como por toda a Europa, e as questões que se colocam em relação à vacina da AstraZeneca põem em causa a sua utilização.

O que parece ser claro para todos é que é preciso desenvolver várias vacinas e multiplicar, por todos os continentes, os pontos de fabricação.

Como dizia António Guterres, "a cooperação internacional" é vital para resolver esta pandemia e todas as outras que, sem dúvida, se seguirão.