Última hora
Advertising
This content is not available in your region

UE aprova primeiro alimento derivado de insectos

euronews_icons_loading
UE aprova primeiro alimento derivado de insectos
Direitos de autor  Virginia Mayo/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Os alimentos derivados de insetos poderão chegar em breve às prateleiras dos supermercados e restaurantes em toda a Europa.

Esta semana, a União Europeia deu luz a uma proposta para colocar no mercado a farinha de larvas secas, considerando o produto como um "alimento novo".

A decisão surge depois de a Agência de Segurança Alimentar do bloco ter publicado um parecer científico, no qual concluiu que os insetos são um alimento seguro e que ingeridos inteiros ou em pó, são um lanche rico em proteínas.

Os insetos como alimento representam um mercado muito pequeno mas os investigadores afirmaram que a sua criação para fins alimentares pode ter benefícios ambientais.

A Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura chama aos insetos "uma fonte alimentar saudável e altamente nutritiva com um elevado teor de gordura, proteínas, vitaminas, fibras e minerais".

Produção de insetos em França

França é o país que acolhe a maior exploração de insetos do mundo e a Micronutris, empresa de Cédric Auriol, tornou-se na primeira a conseguir uma licença para produzir insetos como alimento.

Depois da decisão da União Europeia, o produtor diz que agora, um dos desafios do setor será o de desenvolver produtos mais adaptados ao consumidor. "Nos próximos meses, poderemos ver nos mercados produtos feitos com pó de insetos e sem dúvida que veremos algumas barras energéticas, bolachas de insetos, massas proteicas e até bifes de insetos", afirma Cédric Auriol.