EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Líderes da UE não querem cimeira com Putin

Líderes da UE não querem cimeira com Putin
Direitos de autor JOHANNA GERON/AFP or licensors
Direitos de autor JOHANNA GERON/AFP or licensors
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Proposta franco-alemã rejeitada. Países do leste consideram ser "demasiado cedo"

PUBLICIDADE

Os líderes da União Europeia rejeitaram a proposta da Alemanha e de França para se realizar uma cimeira com o presidente russo Vladimir Putin.

A decisão foi anunciada esta madrugada após horas de conversações, em Bruxelas.

A proposta foi retirada do comunicado final da reunião após ter enfrentado uma forte oposição dos países da Europa de Leste.

Esta foi uma rara derrota pública para Angela Merkel.

A chanceler germânica, que abandona o cargo no outono, afirmou que não foi possível chegar a um acordo e que "pessoalmente, teria gostado de ver aqui um passo mais arrojado, mas também é bom assim", garantindo que continuar-se-á "a trabalhar sobre o assunto".

Os países Bálticos e a Polónia bloquearam a proposta pois dizem que não vêm, por parte de Vladimir Putin, nenhuma mudança radical de comportamento.

Para o presidente da Lituânia, é demasiado cedo, por isso, "não haverá reunião ao nível de líderes da União Europeia com a Rússia." Gitanas Nauseda sublinhou que a relação com Moscovo está a a deteriorar-se pois observam-se "novas formas agressivas no comportamento da Rússia. Essa é a razão pela qual não se pode negociar sobre os interesses e as causas dos parceiros de leste".

As relações entre a União Europeia e a Rússia estão tensas desde a anexação da Crimeia e o início do conflito na Ucrânia em 2014. Não se realizou mais nenhuma cimeira desde então.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Zelenskyy assina acordo em Bruxelas antes de viajar para Lisboa esta terça-feira

Borrell afirma ter “a certeza” que Rússia vai tentar interferir nas eleições europeias

Antony Blinken: "Ucrânia vai tornar-se membro da NATO”