Guerra no Afeganistão longe do fim

Doha, Qatar
Doha, Qatar Direitos de autor Euronews/AFP
De  Nara Madeira com AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Governo afegão e talibãs longe do consenso, conversações de Doha terminam sem progressos significativos enquanto insurgentes avançam no terreno.

PUBLICIDADE

As últimas conversações entre governo afegão e talibãs, em Doha, terminaram sem progressos significativos. Isto mesmo depois de o líder supremo dos rebeldes,  Hibatullah Akhundzada, ter dito que é a favor de uma solução política para o conflito. 

De acordo com o mediador destas conversações as partes acordaram, apenas, "trabalhar para evitar baixas civis", muito aquém dos cessar-fogos previamente acordados. Para já fica a promessa de se voltarem a sentar à mesa das negociações, enquanto se procura alcançar uma "solução justa".

Foram dois dias de intensas conversações enquanto o movimento islâmico prossegue uma ofensiva generalizada no Afeganistão. Que se intensificou com a partida das tropas de pa´´íses da NATO do país.

Há vários meses que os dois lados têm vindo a reunir-se na capital do Qatar e as conversações parecem ter perdido ímpeto à medida que os talibãs vão ganhando terreno. Acredita-se que o grupo controle cerca de metade dos 400 distritos do país, várias passagens fronteiriças importantes e têm sitiada uma série de capitais de província vitais.

Mas um porta-voz das forças de segurança afegãs dizia que os combatentes pró-governamentais conduziram 244 operações e mataram 967 combatentes "inimigos", incluindo comandantes chave. Acrescentando que recuperaram 24 distritos e que o objetivo é retomá-los todos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Forte ofensiva talibã no norte do Afeganistão

Dois prisioneiros detidos em Guantánamo regressam ao Afeganistão

Regresso forçado de milhares de afegãos satura fronteira com o Paquistão