EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Ucrânia anuncia "contagem descrecente" para a desocupação da Crimeia

Presidente da Ucrânia
Presidente da Ucrânia Direitos de autor Eurovision
Direitos de autor Eurovision
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Presidente da Ucrânia anunciou o início da “contagem decrescente” para a desocupação da Crimeia. O anúncio foi feito esta segunda-feira, em Kiev, na abertura da Plataforma Crimeia, uma iniciativa diplomática da Ucrânia.

PUBLICIDADE

O Presidente da Ucrânia anunciou o início da “contagem decrescente” para a desocupação da Crimeia. O anúncio foi feito esta segunda-feira, em Kiev, na abertura da Plataforma Crimeia, uma iniciativa diplomática da Ucrânia que pretende ser um mecanismo de coordenação internacional para chamar a atenção global para a anexação da península pela Rússia.

«Estamos cientes de que, estando só, o nosso país independente Ucrânia, nunca poderá regressar à Crimeia. Precisamos de um apoio eficaz a nível internacional e de apoio ao novo nível de desocupação da península da Crimeia. Hoje precisamos de mais medidas eficazes para libertar a Crimeia. Os nossos esforços conjuntos podem eliminar a agressão armada", afirmou o presidente da Ucrânia,  Volodymyr Zelenskiy, no seu discurso de abertura.

"Independência significa soberania. Significa integridade territorial dentro de fronteiras internacionalmente reconhecidas. E estou aqui para reafirmar a posição inabalável da UE. Não reconhecemos e não reconheceremos a anexação ilegal da Crimeia e de Sebastopol pela Rússia. Continuaremos a fazer cumprir firmemente a nossa política de não reconhecimento e permaneceremos firmes contra quaisquer violações do direito internacional", afirmou o presidente do Conselho Europeu, Charles Michel. 

Além do presidente do Conselho Europeu, estiveram representados na cimeira 11 países da União Europeia, através dos seus presidentes ou ministros dos Negócios Estrangeiros. Mas a cimeira ficou marcada por notícias de que França, Alemanha e Itália mandaram apenas os ministros dos Negócios Estrangeiros, numa altura em que estão em conversas com a Rússia sobre o seu apoio a uma potencial crise de refugiados afegãos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Vala comum encontrada na Ucrânia

Maior hospital pediátrico de Kiev alvo de ataque russo

Ucrânia atinge com drones depósito de munições no interior da Rússia