EventsEventos
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Arménia e Azerbaijão trocam acusações no tribunal da ONU

Arménia e Azerbaijão trocam acusações no tribunal da ONU
Direitos de autor NLICJ
Direitos de autor NLICJ
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Arménia acusa o Azerbaijão de promover sistematicamente o ódio étnico contra os cidadãos arménios, numa altura em que os dois países se enfrentam no Tribunal Internacional de Justiça, em Haia. As duas nações travaram uma guerra no ano passado pelo controlo de Nagorno Karabakh.

PUBLICIDADE

A Arménia acusa o Azerbaijão de promover sistematicamente o ódio étnico contra os cidadãos arménios, numa altura em que os dois países se enfrentam no Tribunal Internacional de Justiça, em Haia. As duas nações, que travaram uma guerra no ano passado pelo controlo de Nagorno Karabakh, apresentaram recursos no tribunal da ONU.

"O ódio étnico que as autoridades do Azerbaijão vomitam quase diariamente é tão difundido que quase toda a sociedade do Azerbaijão é afetada. Gerações após gerações são doutrinadas nesta cultura de medo do ódio por tudo e qualquer coisa arménia", afirmou Yeghishe Kirakosyan, representante da Arménia para o Tribunal Internacional de Justiça. 

O vice-ministro dos Negócios Estrangeiros do Azerbaijão, Elnur Mammadov, contra-atacou e defendeu a atuação do país: "Ao agir para libertar os seus territórios da ocupação ilegal da Arménia, o Azerbaijão estava a agir ou melhor, a reagir. Não por animosidade étnica, mas em resposta ao uso flagrante e ilegal da força contra o seu povo e o seu território soberano". 

A Arménia pediu ao tribunal da ONU que exija que o Azerbaijão liberte os prisioneiros capturados durante o conflito armado, no outono passado, na região separatista de Nagorno Karabakh.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Líder da República Sérvia volta a ameaçar saída da Bósnia-Herzegovina

ONU avisa que sistema de saúde de Gaza "está de rastos" e suspende entregas de ajuda em Rafah

Afegãos procuram sobreviventes após as inundações que causaram centenas de mortos