This content is not available in your region

Inflação está a aumentar na Europa

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira  com AFP
euronews_icons_loading
Inflação está a aumentar na Europa
Direitos de autor  Michael Probst/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved

A inflação está a aumentar pela Europa e a maior economia da União Europeia segue essa tendência. Os dados mais recentes dão conta do nível mais elevado dos últimos 30 anos, na Alemanha. Uma situação que está a deixar os germânicos inquietos. Uma fisioterapeuta, Lena Wendland, entrevistada num mercado, explicava que ela e o marido estão a _"_tentar comprar casa e os preços estão muito elevados. É um pouco assustador", desabafava, acrescentando que, "provavelmente", vão acabar por ir viver mais para perto do campo porque os preços na cidade estão fora do seu alcance.

O Bild, o jornal mais popular no país, responsabiliza o Banco Central Europeu por não ter controlado os preços e ter agravado o problema com a política do dinheiro barato.

O BCE tem sustentado uma política de manutenção das taxas de juro o mais baixas quanto possível, para apoiar as economias, o que na Alemanha, tradicionalmente, é visto como a causa do aumento dos preços e da "ruína" de quem aposta na poupança.

Mas há analistas que argumentam que foram as políticas do BCE que deram algum suporte à Zona Euro e que as causas são outras. O economistaCarsten Brzeski, da ING, explicava que "neste momento, a inflação deve-se, principalmente, aos preços elevados da energia, das matérias-primas e, claro, um pouco ao fim do bloqueio, o que levou a que os preços no setor da hotelaria e do turismo aumentassem um pouco".

Este analista acrescentava que foi a instituição que garantiu uma economia "próspera, que a Zona Euro está a aguentar-se bem", "o mercado de trabalho alemão está em expansão" e "o governo federal pode contrair dívidas com a ajuda de taxas de juro negativas".