This content is not available in your region

Papa Francisco dá voz aos mais carenciados

Access to the comments Comentários
De  Patricia Tavares
euronews_icons_loading
Papa Francisco dá voz aos mais carenciados
Direitos de autor  Riccardo De Luca/Riccardo De Luca

Dar voz aos mais carenciados no dia Mundial dos Pobres. Foi este o apelo do Papa Francisco na visita a Assis no centro de Itália nesta sexta-feira para o dia que se assinala neste domingo.

O Papa argentino defendeu uma "Igreja pobre para os pobres", num encontro com mais de 500 pessoas de várias origens: polacos, croatas, espanhóis, franceses, mas também afegãos que falaram da sua difícil jornada. O Papa apelou ao acolhimento dos mais necessitados em busca de segurança.

Aqui está a expressão mais evangélica que somos chamados a fazer nossa: bem-vindos. Acolher significa abrir a porta, a porta da casa, a porta do coração e permitir que aqueles que batem entrem e se sintam à vontade, não em medo, mas à vontade, sentindo-se livres. Onde há um verdadeiro sentido de fraternidade, há também a experiência sincera de acolhimento. Onde, por outro lado, há o medo do outro, o desprezo pela sua vida, depois a rejeição surge - ou pior, a indiferença.
Papa Francisco

O Papa também apelou a um exame de consciência, denunciando a desigualdade em que vivem tantas famílias e "a hipocrisia daqueles que se querem enriquecer a todo o custo". Também apelou à "indignação perante a realidade das crianças famintas, reduzidas à escravatura" e pediu o "fim da violência contra as mulheres.