This content is not available in your region

Opositores das restrições "dão força" à Covid-19

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques  com AP, AFP
euronews_icons_loading
Movimento "Resistência Neerlandesa" encontrou forte contingente policial em Amesterdão
Movimento "Resistência Neerlandesa" encontrou forte contingente policial em Amesterdão   -   Direitos de autor  AP Photo/Peter Dejong

Pelo menos cinco polícias ficaram feridos e 28 pessoas foram detidas este sábado nos Países Baixos, na sequência de mais protestos contra as restrições anticovid impostas há uma semana pelo Governo.

Foi mais uma noite de confrontos, agora em Haia e noutras pequenas cidades neerlandesas, depois de na sexta-feira ter sido Roterdão o palco da oposição mais violenta às novas medidas, com o autarca local a referir inclusive ter-se assistido a uma "orgia de violência".

Este sábado, em Haia, alguns manifestantes provocaram pequenos incêndios, queimando inclusive bicicletas, e atiraram pedras e foguetes à polícia.

As autoridades recorreram a canhões de água, cães, polícia a cavalo e de choque para tentar travar o vandalismo.

Em Roterdão, este sábado, tal como em Amesterdão e Eindhoven, uma forte mobilização policial terá reprimido a repetição da violência ocorrida na sexta-feira.

Os Países Baixos contam com uma média diária a sete dias de 33 mortes e quase 20 mil infeções.

O governo tenta travar o recente forte agravamento da infeção no país e impôs um confinamento parcial de três semanas, com redução de horário nos restaurantes e o fecho dos eventos desportivos ao público, o que poderá afetar a visita do Sporting ao Ajax, da Liga dos Campeões, a 7 de dezembro.

Áustria fecha todos em casa

A Áustria também se prepara para iniciar esta segunda-feira um novo período de restrições, mas aqui com um confinamento total de 10 dias, para já, e abrangendo todas as pessoas, vacinadas e não vacinadas.

De acordo com o jornal "Kronej Zeitung", o confinamento deve ser prolongado ainda por mais 10 dias para tentar assegurar um período de Natal mais controlado, mas mesmo depois dos 20 dias os não vacinados devem manter-se em confinamento.

Esta manhã, o governo federal deverá anunciar as regras deste novo confinamento total e o chanceler Alexander Schallenberg deverá pedir solidariedade aos já vacinados neste esforço para travar a Covid-19.

Em vésperas destes anúncios, dezenas de milhares de pessoas concentraram-se em Viena para protestar contra as restrições.

Com a quinta vaga de Covid-19 em agravamento por todo o continente, os protestos contra as restrições continuam também em diversos outros países.

O diretor regional da Organização Mundial de Saúde (OMS) para a Europa mostra-se "muito preocupado" com o agravamento da epidemia no continente.

A Covid-19 tornou-se uma vez mais a causa número um de morte na nossa região. Sabemos o que tem de ser feito.
Hans Kluge
Diretor regioonal da OMS na Europa

Hans Kluge apelou à vacinação, ao uso de máscaras e à importância de se controlar os certificados de saúde covid.

Outras fontes • DutchNews, Krone Zeitung, Haute