EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Austríacos manifestam-se contra novo confinamento

Austríacos manifestam-se contra novo confinamento
Direitos de autor JEFFREY GROENEWEG/AFP
Direitos de autor JEFFREY GROENEWEG/AFP
De  euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Confinamento geral a partir de segunda-feira gera descontentamento na Áustria e violência nas ruas de Roterdão contra novas medidas anti Covid-19

PUBLICIDADE

Milhares de austríacos desceram às ruas na capital, Viena, este sábado para protestarem depois do governo ter anunciado na sexta-feira um confinamento geral a partir de segunda-feira.

O governo austríaco decretou ainda que a partir de fevereiro a vacinação seria obrigatória no país.

Os protestos foram organizados pelo partido de extrema-direita, Partido da Liberdade. No entanto, o líder do partido, Herbert Kickl, não participa no evento pois testou positivo e encontra-se a cumprir uma quarentena.

Nos Países Baixos, a noite de sexta-feira foi marcada por manifestações de violência em Roterdão.

Os manifestantes insurgiram-se contra as medidas sanitárias impostas pelo governo que impôs um confinamento parcial o qual impede o acesso dos não-vacinados a determinados locais.

Segundo dados oficiais, na sexta-feira o país teria registado mais de 21 mil novas infeções.

O presidente da câmara da cidade, Ahmed Aboutaleb, descreveu os eventos da noite passada como uma orgia de violência.

A violência deixou igualmente marcas no território ultramarino da Guadalupe nas Antilhas francesas.

Os manifestantes insurgiram-se contra o passe sanitário e obrigatoriedade de vacinação para os profissionais de saúde.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Opositores das restrições "dão força" à Covid-19

Europeus nas ruas contras as novas medidas anti Covid-19

Confinamento parcial decretado nos Países Baixos