This content is not available in your region

Vulcão Cumbre Vieja está a "cuspir" muito mais lava na ilha de La Palma

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques
euronews_icons_loading
Vulcão Cumbre Vieja volta a ganhar força nas Canárias
Vulcão Cumbre Vieja volta a ganhar força nas Canárias   -   Direitos de autor  EPA/Miguel Calero

O vulcão Cumbre Vieja, na ilha espanhola de La Palma, nas Canárias, voltou a ganhar força nestes últimos dias e criou um novo rio de lava, que começou a escorrer com velocidade pela encosta às primeiras horas desta quinta-feira.

O novo "tsunami" de magma e rochas está a fluir um pouco mais a sul dos anteriores. Já atingiu o cemitério de Las Manchas, uma central fotovoltaica e ameaça continuar a destruir uma zona até aqui poupada ao fenómeno, onde se situam alguns edifícios.

O novo rio de lava começou a abrir caminho com rapidez, mas entretanto abrandou para cerca de 25 metros por hora, Por onde está a passar, tem destruído tudo numa região até há pouco poupada por este fenómeno.

O vulcão Cumpre Vieja entrou em erupção a 19 de setembro. Em pouco mais de dois meses, já terá gerado pelo menos uma dezena de rios de lava. Alguns atingiram o mar e formaram o que se designa como fajã nas ilhas da Macaronésia, que incluem ainda os Açores, a Madeira e Cabo Verde.

A primeira fajã gerada já acrescentou mais de 43 hectares à ilha de La Palma e nessa nova península já começa a notar-se a existência de vida. A fajã mais recente tem por enquanto cerca de cinco hectares.

A boa notícia é que as previsões meteorológicas nas Canárias apontam para chuva forte, baixa de temperatura e até neve nas partes mais altas da ilha de La Palma.

A chuva forte, no entanto, pode gerar novos perigos. A Proteção Civil da ilha alerta os residentes para não se aproximarem de ladeiras instáveis e encostas porque há risco de correntes de água súbitas.

Outras fontes • El Diario de Canarias