Clube de futebol de Madrid promove integração

Clube de futebol de Madrid promove integração
Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Carlos Marlasca
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Dragões de Lavapiés contam com praticantes de mais de cinquenta nacionalidades

PUBLICIDADE

Filha de mãe espanhola e pai marroquino, Fátima é uma jovem praticante de futebol residente em Madrid, que se identifica com os valores de multiculturalismo de um clube em particular, os Dragões de Lavapiés, felicitando o forte companheirismo das parceiras de equipa.

Fátima Harthi, jogadora dos Dragões de Lavapiés:"Estávamos nos últimos minutos e a Jennifer passou-me a bola. Meti golo, a guarda-redes atirou-se ao chão e levantaram-me em braços, dizendo: 'Fátima, Fátima!'."

Com praticantes de mais de meia centena de nacionalidades nas diferentes categorias e tendo como um dos principais objetivos a integração, o clube foi reconhecido pela UEFA e recebeu o apoio de uma importante marca de desporto, com a realização de um anúncio que permitiu obter equipamento e avançar com um projeto de arte urbana.

Dolores Galindo, presidente dos Dragões de Lavapiés:"O futebol é visto como uma forma de expressão, tal como existem outras formas de expressão para transformar as vidas de rapazes e raparigas, bem como a própria comunidade."

Carlos Marlasca, euronews:"Os Dragões de Lavapiés arrancaram há oito anos e contam atualmente com mais de trezentos jogadores e jogadoras de diferentes idades. Para além da vertente desportiva, onde são fomentados valores como a igualdade e o desenvolvimento sustentável, o clube realiza um importante trabalho social num dos bairros de maior diversidade cultural de Madrid."

A entidade dispõe, nomeadamente, de um local para dar aulas de inglês e apoio às crianças com mais dificuldades. Pablo é um dos treinadores, mas também professor do clube.

Pablo César González, treinador e professor dos Dragões de Lavapiés:"Tentamos que, através da comunicação, eles possam desenvolver capacidades como a resiliência, tolerância, solidariedade, trabalho de equipa, entre outras. Também os ajudamos a lidar com a intolerância face ao fracasso, porque são crianças e adolescentes bastante intolerantes."

Durante os momentos mais difíceis da pandemia, os Dragões de Lavapiés organizaram-se nomeadamente para entregar alimentos às famílias mais desfavorecidas do bairro da capital espanhola.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Um arquiteto juntou-se a 17 famílias e nasceu a primeira cooperativa de habitação em Madrid

Como a ucraniana Valeriia, de 17 anos, escapou a um campo de reeducação russo

Espanha vai acabar com os vistos gold para investidores imobiliários estrangeiros